Como declarar ações no IRPF: passo a passo


Como declarar ações no Imposto de Renda está entre as dúvidas mais comuns de novos investidores. Não é para menos: o processo de declaração pode parecer complexo e intimidar quem não está acostumado com ele. 

Afinal, ninguém quer errar no IR e cair na malha fina. Por isso, todos os seus rendimentos devem ser declarados com precisão — e isso inclui os ganhos com compra e venda de ações. 

Com as informações certas, no entanto, essa tarefa vai se tornar muito simples. Foi pensando nisso que preparamos esse artigo. Aqui, você encontra um passo a passo sobre como declarar ações no Imposto de Renda. Também respondemos às perguntas mais comuns sobre o assunto.

Hoje, vamos falar sobre: 

  • Como declarar ações no Imposto de Renda 2020?
  • Como funciona o imposto de renda sobre compra e venda de ações?
  • Como calcular o imposto de renda sobre ações?
  • Como declarar ações no Imposto de Renda: Dúvidas comuns
  • Invista de maneira mais simples com a Warren
  • Conclusão

Boa Leitura!

Como declarar ações no Imposto de Renda 2020?

Como declarar Ações no imposto de renda 2020, ilustração
Aprenda, passo a passo, como declarar ações no Imposto de Renda em 2020.

Primeiro, e mais importante: as informações na sua declaração serão cruzadas com aquelas passadas pelas instituições financeiras. Isso significa que não pode haver inconsistências. 

Com isso em mente, quem obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, ou realizou operações em bolsas de valores, deverá apresentar a declaração de Ajuste Anual. 

Isso significa que, se você investe em ações, contratos futuros e outros ativos similares, precisará fazer a declaração do Imposto de Renda. Todos os ganhos obtidos no mercado de ações são tributáveis. Assim, mesmo que você se encaixe nas categorias de isenção, é preciso declarar as operações. 

Agora que você sabe que a declaração é obrigatória para todas as operações na bolsa, confira o passo a passo de como declarar ações no Imposto de Renda:  

Passo 1: Reunindo os dados necessários

Esse primeiro passo vale para todos os seus rendimentos, e não apenas para ações. É importantíssimo organizar todas as informações necessárias antes de começar. 

Nesse caso, você precisará de todos os dados das movimentações que você realizou na bolsa no período de 31/12/2018 até 31/12/2019. 

Para quem costuma a realizar diversas operações, a maneira mais fácil de acompanhar os dados é montando uma planilha. Dessa forma, é mais fácil acompanhar seus lucros e prejuízos. 

Tenha em mãos, também, as notas de corretagem e DARFs. Se você não tiver esses documentos, pode solicitá-los com a sua corretora. Aproveite e solicite também o seu informe de rendimentos.

No caso das DARFs, é possível obter os dados consultando o site da Receita Federal

Passo 2: Apurando seus lucros

Agora que você tem toda a documentação que precisa, é hora de fazer a apuração dos lucros. Isso porque a tributação será calculada a partir do preço médio de compra e venda de ações.  

O valor médio é a cotação de compra ou venda, com o desconta da corretagem e dos emolumentos. 

Calma, é mais simples do que parece. Vamos ver com um exemplo: 

Imagine que você comprou 100 ações por R$ 10 cada, incluindo taxas. Alguns meses depois, comprou mais 80 ações da mesma empresa por R$ 15 cada, também incluindo taxas. 

O cálculo para o custo médio de aquisição das 180 ações será feito da seguinte maneira: 

(100 x 10) + (80×15) = 2.200 

Assim, o custo médio de compra para essa empresa foi de R$ 2.200,00. Para encontrar o preço médio de cada título, basta dividir o valor pelo número total de ações (180).

É importante fazer esse cálculo para cada operação. Por isso, ter uma planilha ajuda imensamente no processo.

Passo 3: Baixando o programa do IR 2020

Agora, você começará a preencher a sua declaração de IR propriamente dita. Para isso, é necessário baixar o programa oficial do Ministério da Fazenda. Todo ano é lançada uma nova versão. Você pode encontrar o link para download do programa IR 2020 no site do IRPF.

A forma mais prática de declarar é importar os dados da declaração do ano anterior. Caso essa seja sua primeira vez declarando, será necessário preencher seus dados pessoais primeiro. 

Passo 4: Preenchendo dados das operações isentas

Começando com as operações isentas de tributação. Normalmente, os rendimentos que se enquadram estão identificados como não tributáveis nos seus informes de rendimentos. 

Para declarar dividendos, é só seguir esses passos: 

  1. Escolha a opção “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.
  2. Escolha o campo “05. Lucros e dividendos recebidos pelo titular e pelos dependentes” e clique em “Novo”. 
  3. Informe se você é o titular ou dependente, além do valor e empresa que pagou os dividendos.

Esse procedimento deverá ser repetido para cada uma das ações na sua carteira. 

Outro tipo não tributável de rendimento são as vendas mensais que ficaram abaixo de R$ 20 mil. Para declarar essas operações, basta: 

  1. Escolher o campo “20. Ganhos líquidos em operações no mercado à vista negociadas em bolsas de valores…” e clicar em “Novo”. 
  2. Informar o tipo de beneficiário e o valor final. 

Também é preciso repetir o procedimento para todas as operações inferiores a R$ 20 mil do período. 

Passo 5: Cadastrando operações tributáveis

Para declarar esse tipo de operações, você abrirá uma aba diferente do programa. Basta clicar em “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”. 

Vamos começar pela declaração dos Juros sobre Capital Próprio (JCP).

  1. Escolha o campo “10. Juros sobre capital próprio”.
  2. Preencha os dados do titular, o CNPJ da fonte pagadora e o valor recebido.

Você deve repetir esses passos para cada ação da qual recebeu JCP. 

Na próxima etapa, você irá declarar vendas que superaram R$ 20 mil e operações de Day Trade. Vale lembrar: movimentações no Day Trade estão sujeitas à alíquota de 20%, independe do valor. Também é preciso calcular o valor do IR e realizar o pagamento através de DARF até o último dia útil do mês. 

Para declarar: 

  1. Escolha a opção “Operações Comuns/Day Trade”
  2. Informe o valor do lucro ou prejuízo obtido em cada mês, separando em operações comuns e Day Trade. Utilize sua planilha para isso.
  3. Verifique no campo de janeiro, se há prejuízos para compensar de dezembro de 2018. Se houver, preencha o valor em “Prejuízos a compensar”. 
  4. Ao finalizar cada mês, verifique em “Consolidação do Mês” se a alíquota foi calculada corretamente e informe o valor pago na DARF no campo “Imposto pago”.

Para compensar o IR retido na fonte, é preciso declarar o valor em “IR fonte no mês”. Para o Day Trade, ele é lançado em “IR fonte Day-Trade no mês”.

Ao finalizar o preenchimento, verifique o total de IR retido na fonte no mês de dezembro. Assim, é possível fazer a soma dos recolhidos nas vendas acima de R$ 20 mil e no Day Trade. Esse valor deve ser cadastrado no campo “Imposto Pago/Retido” da opção “3. Imposto sobre a renda na fonte”

Esse processo também deverá ser repetido para cada operação, separadamente. 

Passo 6: Preenchendo dados sobre suas ações

Essa é a última etapa da declaração das suas ações no IR 2020. Nesse passo, você irá usar o informe de rendimentos fornecido pela sua corretora. Nele, você encontra sua posição em 31/12/2018 até 31/12/2019. 

Para declarar, basta seguir essas instruções na aba referente a “Bens e Direitos”: 

  1. Escolha o código “31 – Ações”
  2. No campo “discriminação”, coloque os detalhes do ativo. Por exemplo: 100 ações PN de Petrobras (PETR4) adquiridas em 20/03/2019. 
  3. Preencha a posição em 31/12/2018 e em 31/12/2019 para esses ativos. 

Novamente, é preciso repetir o procedimento para cada uma das suas ações. 

É importante, também, informar vendas parciais e compras de mais ações nas especificações. Não deixe de incluir a data de cada operação. 

Como funciona o imposto de renda sobre compra e venda de ações?

Entenda como é cobrado o IR na compra e venda de ações, ilustração

A declaração do Imposto de Renda é obrigatória se você realizou compra e/ou venda de ações no ano fiscal vigente. Isso é válido tanto para operações que geraram lucros quanto as que trouxeram prejuízos. 

A tributação é de 15% do total recebido com juros sobre capital próprio (JCP). Além disso, vendas mensais com valores acima de R$ 20 mil também sofrem incidência do IR, com alíquota de 15%. No caso de operações no Day Trade, ela é de 20%, independente do valor movimentado. 

Como calcular o imposto de renda sobre ações?

Manter um acompanhamento das suas operações na bolsa é fundamental para declarar o IR corretamente. A seguir, aprenda como fazer o cálculo do imposto para manter sua planilha atualizada: 

Swing e Position

  • Verifique se o valor total da venda de ações excedeu R$ 20 mil. Nesse caso, você estará sujeito à alíquota de 15%, descontadas as taxas e corretagens pagas à corretora.
  • Calcule o valor total das ações vendidas no período de 30 dias
  • Se houver prejuízo, anote o valor para abater de seu lucro em outros meses.

Day Trade

  • Verifique se houve lucro ou prejuízo. 
  • Em caso de lucro, a alíquota é de 20%, descontadas as taxas e corretagem pagas.
  • Se houver prejuízo, anote o valor para abater de seu lucro em outros meses.

Invista de maneira mais simples com a Warren

Um dos maiores objetivos da Warren é simplificar o mundo dos investimentos, o tornando cada vez mais acessível para todos. É verdade, investir em ações pode ser intimidador. Além do risco inerente à renda variável, existem todos esses detalhes para acompanhar – inclusive os referentes à declaração do IR. 

Felizmente, existe uma forma muito mais simples de lucrar com ações: os fundos de investimentos. Declarar esse tipo de rendimento no IR é um processo muito mais simples. Além disso, também é mais fácil investir e acompanhar seus rendimentos assim. 

Nos fundos, uma equipe especializada seleciona as ações compradas e vendidas para você. Entenda melhor como funcionam os fundos de investimento nesse artigo. 

Aqui na Warren, você também tem Taxa Zero nos fundos de investimento da nossa gestão. É só clicar aqui e abrir sua conta gratuita!

Para investir em ações de forma mais barata e prática, confira nosso Fundo de Ações Brasileiras e nosso Fundo de Ações USA. 

Conclusão

Com esse guia, você aprendeu tudo que precisa saber sobre como declarar ações no imposto de renda. É importantíssimo verificar todos os dados e declarar os valores precisos. Isso porque esses dados serão cruzados com os fornecidos pela sua corretora, e é muito fácil cair na malha fina com erros. 

Você também aprendeu sobre uma maneira de simplificar o investimento em ações. Desde a escolha dos títulos até a declaração de rendimentos, as operações na bolsa de valores podem intimidar quem está começando. Por isso, se você quer uma forma mais prática de lucrar com ações, os fundos de investimento podem ser a opção perfeita. 

Com eles, a declaração é mais simples. Além disso, também é mais fácil acompanhar a performance e você ainda paga menos taxas e consegue maior diversificação na sua carteira. 

Conheça os fundos de investimento da gestão Warren! Com certeza você encontrará uma opção perfeita para seus objetivos!

Quer continuar aprendendo cada vez mais sobre como cuidar do seu dinheiro? Confira esses outros artigos que publicamos no blog: