A crise do coronavírus está afetando a renda fixa?


Entenda o stress do mercado de crédito

>>> tempo de leitura estimado de 5 minutos <<<

A crise econômica que estamos vivendo em função do coronavírus afeta com intensidade o mercado de renda variável. Mas afeta, também, alguns produtos de renda fixa, conforme dados da ANBIMA (Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) referentes ao mês de fevereiro.

E fundos de crédito privado são um desses produtos que têm sido impactados e, inclusive, mostrado rendimentos negativos nos últimos dias. Mas, se é um produto de renda fixa, por que isso acontece? Além disso, vamos falar o que o investidor que possui cotas em fundos deste tipo deve fazer.

O que está acontecendo com o mercado de crédito?

O que está acontecendo com o mercado de crédito? Ilustração.

Nosso gerente de Relacionamento, Felipe Beys, explica que isso não é comum e ocorre somente em cenário de exceção. E aponta que isso está acontecendo devido à volatilidade no mercado de juros. E explica:

“O Copom reduziu, na semana passada, a taxa Selic de 4,25% para 3,75% ao ano. No entanto, os juros futuros mais longos (2040) estão subindo. E esse descompasso ajuda no stress do mercado de crédito”.

O crédito privado é uma alternativa aos empréstimos bancários que as empresas utilizam. Ou seja, ao invés de recorrer aos bancos, elas emitem dívidas e os investidores compram – diretamente ou através de fundos desta característica. E as empresas devolvem o valor, após prazo estipulado, com juros.

Importante: este é um produto de renda fixa, sim. Mas Renda Fixa não é Preço Fixo. Isto é, os preços dos títulos podem variar no dia a dia, então naquilo que se chama marcação a mercado pode haver, eventualmente, alguma volatilidade, alguma variação negativa.

Mas se existe uma renda fixada, por que o mercado fica em stress?

A crise econômica que o avanço do coronavírus tem causado está fazendo com que as empresas precisem refazer suas projeções para se adequar a um novo cenário, a um cenário de recessão.

“As companhias estão diminuindo expectativas de faturamento, reduzindo orçamento e priorizando caixa. Com isso, os investidores exigem um maior retorno, afinal o nível de risco aumentou”, explica Beys.

O que o investidor de produtos deste tipo deve fazer neste momento?

O que o investidor deve fazer, ilustração.

É importante ressaltar que o stress no mercado de crédito não é algo recorrente, ocorre excepcionalmente e que a tendência no longo prazo é que o cenário seja normalizado, até mesmo na renda variável.

E  produtos desta natureza continuam sendo uma excelente opção, ainda mais quando se tratam de fundos. Pois fundos são produtos diversificados e os fundos de crédito privado, como o nosso Warren Crédito Privado é composto por títulos emitidos por diversas empresas.

Nosso gestor de fundos, Thomaz Fortes, reforça que já estão sendo feito ajustes nas carteiras dos clientes da Warren para minimizar os impactos deste stress.

Fique bem informado! Clique aqui para ver todos os nossos conteúdos sobre Coronavírus em um só lugar.